domingo, 13 de junho de 2010

L'imperatriz

by Rankin

E o que eu queria que fossem quatro da tarde quando acordei. E ainda estivesse enrolada nos lençóis e na roupa que se acumulou no fundo da cama. O cheiro a lençóis quentes e à luz que faz desenhos no chão.

Faltam-me as tuas mãos.



Sem comentários: