sábado, 18 de outubro de 2008

Swing life away

Are we getting closer or are we just getting more lost?

Não estava à espera de sentir isto, o facto de não sentir nada daquilo que esperava. Estava preparada para enfrentar a desilusão e a dor de não te ter mais, mas não... inesperadamante não o senti, senti cansaço e sono de uma vida pouco terrena.
Senti o chão debaixo dos pés e o céu a observar-me de cima. Senti-me de mãos vazias, cheias de vento, a agarrar o que resta dos fios que prendem os balões, porque não os quero deixar voar sem que tenha um bom motivo.
Foi sem dúvida a melhor noite de sono que tive em dois meses, senti finalmente que pertencia onde me encontrava e sabe tão bem estar comigo novamente e não com todas as minhas outras facetas.
Tomei uma decisão que nunca pensei ser capaz de tomar, mas fi-la, superei o que esperava de mim e mesmo depois de tudo sinto-me finalmente bem.

A minha vida não depende de ninguém? Mentira. Depende. Depende do que me torna mais pessoa, mais Carolina, e sim tu tornaste, fizeste-me conhecer muito de mim e sabe tão bem senti-lo, sei que agora posso contar mais comigo do que com qualquer outra pessoa porque ninguém sabe melhor como me sinto bem neste momento do que eu própria.

Sabia o que me esperava mal pus os pés fora de casa mas tinha de o fazer, expôr o ponto final que há tanto queria gravar na minha vida, e agora ele está marcado e eu sinto-o.

Virei-te costas com um sorriso verdadeiro, senti-me a flutuar na calçada que pisei durante tempo indefinido, senti que o meu sonho tinha acabado de começar e eu não queria ser espectadora queria fazer parte dele. Fui para a praia e estava incoberto, só eu sei o quanto gosto de ver o mar reflectir o cinzento do céu, só eu, e ali fiquei horas ainda com aquele-sorriso-parvo estampado na minha cara.

E começou a chover... Achas que me mexi?

Saíste da minha vida da mesma forma que entraste, sem eu dar conta. Obrigado.

Carolina

1 comentário:

MARIANA disse...

adorei, tao bem escrito laina :)
beijinho